A odontologia estética

Por muitos anos, o dentista foi associado a uma imagem de dor e sofrimento. Este quadro mudou muito nas √ļltimas d√©cadas, tanto pelo fato da odontologia ter se tornado mais focada em preven√ß√£o e menos curativa, com pol√≠ticas sociais mais eficientes, bem como as faculdades ensinando terapias restauradoras mais conservadoras. Uma das principais mudan√ßas foi o apelo est√©tico da popula√ß√£o brasileira cada vez mais forte.

A ortodontia foi a primeira especialidade notada pelo p√ļblico em geral, com o forte apelo est√©tico do ‚Äúsorriso perfeito‚ÄĚ. Hoje, independente da classe social, √© comum vermos crian√ßas, adolescentes e mesmo adultos utilizando aparelhos ortod√īnticos. Mas a odontologia restauradora tamb√©m mudou muito. O am√°lgama de prata, famosa pelos termos ‚Äúrestaura√ß√£o escura‚ÄĚ, ‚Äúrestaura√ß√£o met√°lica‚ÄĚ, ou erroneamente ‚Äúrestaura√ß√£o de chumbo‚ÄĚ, foi sendo substitu√≠da por restaura√ß√Ķes de resina composta e pelas cer√Ęmicas odontol√≥gicas.¬† Hoje, n√£o √© mais aceito pela maioria da popula√ß√£o o uso de metais em boca. Assim, a odontologia est√©tica atual n√£o √© s√≥ ortodontia, mas tamb√©m restaura√ß√Ķes est√©ticas.

Todas essas mudanças da odontologia geram uma série de perguntas que os pacientes tem constantemente trazido para nós nos consultórios. A seguir, listamos as mais comuns:

Qual √© a melhor idade para o uso de aparelhos ortod√īnticos?
Eles podem ser utilizados em crian√ßas, adolescentes e adultos, mas seu uso √© recomendado durante o crescimento. Nesta fase, principalmente logo antes da puberdade e adolesc√™ncia – onde temos o maior surto de crescimento -, √© o melhor momento para a ortodontia que pode ‚Äúorientar o posicionamento dental‚ÄĚ aproveitando a expans√£o das arcadas. J√° na fase adulta, a corre√ß√£o ortod√īntica √© demorada e dif√≠cil.

√Č poss√≠vel corrigir espa√ßos entre os dentes anteriores que atrapalham a est√©tica do sorriso sem aparelhos?
Depois de adulto, boa parte dos pacientes n√£o quer mais utilizar aparelhos ortod√īnticos. Primeiramente, √© importante citar que a ortodontia √©, na maioria das vezes, a primeira escolha, pois permite alinhar dos dentes sem necessidade de qualquer desgaste ou aumento de contorno dos dentes. Hoje temos no mercado v√°rios alinhadores dentais, que s√£o placas de acr√≠lico ou acetato que se encaixam nos dentes e permitem pequenos movimentos ortod√īnticos. Muitas vezes, eles s√£o suficientes para corrigir o sorriso do paciente. Por outro lado, a ortodontia n√£o consegue isoladamente corrigir o sorriso, pois o volume dos dentes √© insuficiente para preencher todos os espa√ßos, chamados tecnicamente de diastemas. Assim, a ortodontia se alia √† dent√≠stica: a especialidade da odontologia que cuida das restaura√ß√Ķes para aumentar o contorno dos dentes. Este recurso √© muito r√°pido, necessitando de uma ou poucas consultas, utilizando-se resina composta ou cer√Ęmicas.

Quais s√£o as vantagens e desvantagens de se utilizar resina composta ou cer√Ęmicas odontol√≥gicas?
Ambos s√£o materiais est√©ticos, ou seja, tem a cor da estrutura dental. As resinas compostas representam o material restaurador mais popular, utilizado por praticamente todos os profissionais. O dentista, com a arte de um escultor, reconstr√≥i a por√ß√£o destru√≠da de um dente ou contorna o mesmo com a massa de resina composta. Quando est√° no formato que se deseja, √© irradiada com uma luz azul bem forte, de um aparelho chamado fotopolimerizador. Sob a a√ß√£o desta luz, a resina composta polimeriza, ou seja, enrijece. J√° as cer√Ęmicas odontol√≥gicas, como qualquer cer√Ęmica, depois de esculpida deve sofrer coc√ß√£o em um forno em alta temperatura. Assim, todo trabalho cer√Ęmico √© feito em laborat√≥rio, n√£o podendo ser feito diretamente na boca. Desta forma, a principal vantagem das resinas compostas √© que permitem um trabalho imediato diretamente no dente do paciente, n√£o necessitando assim moldagem, nem uma fase laboratorial, o que requer mais consultas. O custo acaba sendo mais uma vantagem das resinas compostas, uma vez que temos menos consultas e os honor√°rios somente do cirurgi√£o dentista, e n√£o tamb√©m do t√©cnico de pr√≥tese dental. J√° as principais vantagens das cer√Ęmicas s√£o sua cor perene, diferente das resinas compostas que com o passar do tempo tendem a se alterar; a textura superficial e brilho t√™m durabilidade maior, o que garante um trabalho est√©tico mais refinado e duradouro.

O que são facetas estéticas?
S√£o l√Ęminas que imitam a face do dente voltada para os l√°bios, sendo coladas nesta superf√≠cie do mesmo. As l√Ęminas est√©ticas podem proporcionar mudan√ßa de cor, forma e tamanho dos dentes, bem como mascarar espa√ßos entre eles, os diastemas. As facetas podem ser confeccionadas diretamente sobre o dente com o uso de resina composta, bem como o dente pode ser moldado e a faceta ser feita em laborat√≥rio, tanto de resina composta, quanto de cer√Ęmica. H√° dois tipos de facetas, as convencionais, que h√° um desgaste de at√© 1,8 mm de espessura da face externa do dente; como facetas ‚Äúlente de contato‚ÄĚ, feitas com cer√Ęmica numa espessura muito fina de at√© 0,1mm de espessura. A indica√ß√£o de um ou outro material, bem como o tipo de faceta, dependem de uma s√©rie de detalhes que um cirurgi√£o dentista qualificado pode discutir com o paciente.

As restaura√ß√Ķes est√©ticas podem ser utilizadas em dentes posteriores?
Sim, tanto as resinas compostas, como as cer√Ęmicas podem ser utilizadas inclusive em dentes molares. Mas como qualquer material, temos diferentes qualidades de resinas compostas e cer√Ęmicas. Assim, √© importante procurar um cirurgi√£o dentista com conhecimento sobre os materiais que saiba selecionar e executar a melhor restaura√ß√£o em um dente posterior.

Restaura√ß√Ķes est√©ticas s√£o para toda a vida?
Claro que n√£o! Como todo material, h√° uma vida √ļtil. Costumamos dizer que, se o dente tem estrutura para durar a vida toda, se mal cuidado n√£o dura, por que uma restaura√ß√£o cer√Ęmica ou de resina composta h√° de durar? As restaura√ß√Ķes cer√Ęmicas tem uma vida √ļtil em torno de 15 anos, quanto uma resina composta de oito ou mais anos, obviamente bem executadas por um profissional competente e bem cuidadas por um paciente que tenha uma boa higieniza√ß√£o e que frequente o cirurgi√£o dentista no m√≠nimo anualmente. Para pacientes que tenham trabalhos cer√Ęmicos na boca, √© importante que seja feito um ajuste de mordida anual destas restaura√ß√Ķes, pois elas tendem a se desgastarem menos que o dentes antagonistas, com quem mordem, gerando assim uma situa√ß√£o de estresse mastigat√≥rio, o que pode levar √† fratura da restaura√ß√£o cer√Ęmica.

Sorrisos restaurados s√£o artificiais?
Um trabalho, tanto em resina composta, quanto em cer√Ęmica, podem ser maravilhosos, desde que bem executados por um dentista e/ou um t√©cnico de laborat√≥rio capacitados. A dica √© pedir para que o profissional mostre casos realizados para se ter uma¬†ideia¬†de resultados. Outro requisito fundamental √©, antes de contratar o profissional, certifique-se de sua forma√ß√£o e especializa√ß√£o. Isso pode ser feito mesmo via site do Conselho Regional de Odontologia, que normalmente √© identificado pela sigla CRO, acompanhada das duas letras que identificam o estado. Como por exemplo para checar o registro de um cirurgi√£o dentista no Estado de S√£o Paulo, entre no site do CROSP.

√Č poss√≠vel clarear os dentes?
Sim, existem v√°rias t√©cnicas de clareamento dental, algumas executadas no consult√≥rio, outras executadas em casa, com o uso de placas de pl√°stico transparente que mant√©m o gel clareador em contato com os dentes. Estas t√©cnicas de aplica√ß√£o em casa, embora bem simples, s√£o at√© mais eficientes que as realizadas em consult√≥rio, inclusive normalmente menos onerosas. √Č importante salientar que, diferente de outros procedimentos odontol√≥gicos, o cirurgi√£o dentista vende um procedimento de clareamento dental, mas ele n√£o vende resultados, pois n√£o tem como os garantir. Assim, mesmo um clareamento dental realizado dentro de um protocolo seguro e eficiente, pode n√£o atingir os resultados esperados pelo paciente.¬† Desta forma, o cirurgi√£o dentista n√£o tem como garantir que os dentes de um paciente clareiem o que ele deseja, mas pode oferecer a melhor t√©cnica para tal.

Clareamento faz mal para o dente?
Clareamento √© o tratamento dent√°rio mais conservador. Desde que o uso do gel clareador seja orientado por um cirurgi√£o dentista, √© bastante seguro. N√£o h√° qualquer altera√ß√£o mais significativa na estrutura do dente, mas o seu uso exagerado, principalmente no clareamento de consult√≥rio, h√° risco maior para a polpa do dente, que pode ter um processo de envelhecimento acelerado. √Č importante que a dor seja vista como um sinal de alerta, evitando¬†exageros¬† Mas, reiterando, o mais importante √© ter a orienta√ß√£o sempre de um cirurgi√£o dentista.

Prof. Dr. Carlos Francci
Livre Docente do Depto. De Materiais Dent√°rios
Faculdade de Odontologia da Universidade de S√£o Paulo
francci@usp.br

Sa√ļde bucal da gestante e do beb√™

Consultas odontol√≥gicas ainda n√£o fazem parte da rotina do pr√©-natal de grande parte das gestantes. Muitas vezes, mesmo que a consulta odontol√≥gica seja ofertada em programas p√ļblicos ou em servi√ßos privados, a gestante acaba n√£o realizando a mesma ou tem resist√™ncia √† consulta devido a mitos e cren√ßas populares difundidas dentro da pr√≥pria fam√≠lia ou por amigos e ainda em grande parte ao pr√≥prio medo de dentista.

A visita ao dentista durante o per√≠odo gestacional √© importante para prevenir, diagnosticar e tratar doen√ßas bucais que podem comprometer a sa√ļde da mulher e do seu beb√™. Para comprovar este fato, hoje existem v√°rios artigos mostrando a associa√ß√£o entre doen√ßa gengival da gestante e nascimento prematuro ou baixo peso ao nascer.

Alguns dos mitos que devem ser eliminados s√£o de que a gestante n√£o pode tomar anestesia ou se submeter a uma radiografia odontol√≥gica. O cirurgi√£o dentista √© capacitado para definir quais cuidados, procedimentos e o momento ideal para a realiza√ß√£o das interven√ß√Ķes odontol√≥gicas durante a gravidez. Portanto, a consulta odontol√≥gica pode ocorrer em qualquer momento da gesta√ß√£o.

Outra quest√£o importante a ser esclarecida √© a de que n√£o h√° perda de c√°lcio dos dentes da m√£e para ser incorporado na forma√ß√£o √≥ssea do seu beb√™. Os dentes n√£o se tornam mais fr√°geis durante a gravidez. O que pode facilitar o aparecimento de c√°ries neste per√≠odo √© a maior acidez em virtude de¬†enjoos¬†ou na maior freq√ľ√™ncia de consumo de alimentos pela gestante. Tamb√©m pode estar associado a defici√™ncias na qualidade da escova√ß√£o dent√°ria por parte da gestante. Estes fatores que aumentam o risco de c√°rie dent√°ria podem ser avaliados e corrigidos com a orienta√ß√£o do cirurgi√£o dentista.

O fato de n√£o procurar a avalia√ß√£o odontol√≥gica durante a gravidez pode levar a gestante, em situa√ß√Ķes de dor de dente aguda, a recorrer a auto-medica√ß√£o a√≠ sim podendo acarretar preju√≠zos a sua sa√ļde ou ao beb√™ em forma√ß√£o. Ap√≥s o nascimento, a primeira visita do beb√™ ao dentista deve ocorrer preferencialmente no primeiro ano de vida.

Esta visita √© importante n√£o somente para um exame bucal, mas tamb√©m pelas orienta√ß√Ķes que a m√£e ir√° receber de como e quando deve iniciar a limpeza da boca do seu beb√™ (a qual pode ser iniciada mesmo antes do nascimento dos primeiros dentes, fato que facilita a aceita√ß√£o da mesma ap√≥s o nascimento dos dentes). Informa√ß√Ķes sobre a import√Ęncia do aleitamento materno na forma√ß√£o dent√°ria e da face, a rela√ß√£o entre a sa√ļde bucal da m√£e (e do n√ļcleo familiar) e a futura sa√ļde bucal do beb√™. Deve ficar ciente que aumenta o risco de desenvolvimento de c√°rie dent√°ria devido √† introdu√ß√£o precoce do a√ß√ļcar na alimenta√ß√£o da crian√ßa, principalmente se este for adicionado ao conte√ļdo da mamadeira. E conhecer os danos que podem ser causados √† arcada dent√°ria pelos h√°bitos de suc√ß√£o da chupeta ou dedo.

Gestantes bem informadas e motivadas cuidam melhor de sua sa√ļde bucal e, provavelmente, cuidaram bem da sa√ļde bucal de seu beb√™.

Prof. Ms. Luís Fernando Medeiros
Professor Responsável pela Clínica de Bebês da Universidade da Região de Joinville (Univille-SC)

Referências Bibliográficas:

Codato LAB. Pr√©-natal odontol√≥gico e sa√ļde bucal: percep√ß√Ķes e representa√ß√Ķes de gestantes [disserta√ß√£o]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina; 2005.

Leal,NP Saude bucal da gestante; conhecimentos,pr√°ticas e representa√ß√Ķes do m√©dico, do dentista e da paciente (Disserta√ß√£o). Rio de Janeiro: Instituto Fernandes Figueira, Funda√ß√£o Oswaldo Cruz; 2006

Walter, L.R.F., Ferelle, A., Issao, M. (1996). Odontologia para o bebê. Porto Alegre: Artes Médicas.

O que é peri-implantite?

√Č uma doen√ßa da gengiva ao redor de implantes que leva √† perda √≥ssea. N√£o apresenta dor ou alguma caracter√≠stica que chame a aten√ß√£o. Somente nos est√°gios mais avan√ßados pode-se observar supura√ß√£o (pus) na uni√£o entre a gengiva e o implante. Diferente dos dentes com periodontite, os implantes raramente apresentam mobilidade por causa da peri-implantite. Quando isso ocorre, o implante j√° est√° perdido.¬† Muitas vezes, a mucosa tem um aspecto saud√°vel sem estar inchada ou avermelhada. Se a causa das perdas dent√°rias foi a periodontite, √© importante ficar alerta, pois o risco de ter peri-implantite √© maior.

O que causa a peri-implantite?

A peri-implantite, semelhantemente às periodontites, acontece quando a placa supragengival é deixada por um período de tempo na área adjacente ao implante, que desenvolve inicialmente mucosite. Após esse biofilme alojar-se na área abaixo da gengiva (subgengival), desencadeando um processo inflamatório que terminará com reabsorção do osso, poderá gerar a perda do implante. Também não se pode deixar de lembrar que o fumo é um fator muito importante para a ocorrência de peri-implantite. Os problemas sistêmicos, como o diabetes, também podem facilitar o desenvolvimento das peri-implantites.

Como prevenir a peri-implantite?

A preven√ß√£o √© realizada com pr√°ticas saud√°veis. Assim, limpar a √°rea dos implantes diariamente com escova dental, dentifr√≠cio, fio dental ou escova interdental, assim como, eventualmente complementar com bochecho de solu√ß√Ķes antiss√©pticas √© fundamental. Al√©m disso, n√£o fumar e visitar o dentista regularmente. (Sim, o dentista √© um dos maiores respons√°veis por prevenir as peri-implantites, uma vez que limpa a √°rea entre o implante e a mucosa, diminuindo a agress√£o do biofilme bacteriano).

Como tratar a peri-implantite?

As peri-implantites t√™m tratamento. Entretanto, as consequ√™ncias da sua presen√ßa, muitas vezes, envolvem a retra√ß√£o da √°rea com exposi√ß√£o do implante. Diferentemente das periodontites, o tratamento das peri-implantites parece ser mais exitoso quando se realiza com aux√≠lio de cirurgia, assim como com o uso coadjuvante de antimicrobianos, inclusive, muitas vezes de antibi√≥ticos. A manuten√ß√£o posterior √© fundamental para a que a sa√ļde da boca perdure.

Conclus√£o

Manter a sa√ļde da boca √© primordial, inclusive para manter a sa√ļde em outras partes do organismo. Isso deve ser feito com h√°bitos saud√°veis, n√£o fumando, com exerc√≠cios f√≠sicos, visitas ao m√©dico regulares e, no plano odontol√≥gico, principalmente com um bom controle da placa (biofilme), que inclui o uso da escova, do dentifr√≠cio, do fio dental ou da escova interdental e, complementarmente, do uso de bochechos com solu√ß√Ķes anti-s√©pticas. A conjun√ß√£o de todas essas pr√°ticas aliadas a visitas regulares ao dentista permitem sa√ļde bucal, h√°lito agrad√°vel e qualidade de vida.

Fonte: UFRGS

O que é mucosite?

√Č uma inflama√ß√£o da gengiva ao redor de implantes que se caracteriza por sangramento gengival e pode ser observado durante a escova√ß√£o ou enquanto usa-se qualquer dispositivo de limpeza dos dentes. Tem caracter√≠sticas semelhantes √†s da gengivite, sendo que a gengiva tamb√©m pode ficar com incha√ßo ou descolada do implante.¬† A cor pode modificar de rosa para um tom mais avermelhado. N√£o apresenta dor. Muitas vezes, o mau h√°lito ou gosto ruim na boca podem ser observados. Portanto, fique atento: a gengiva ao redor do implante inflama tanto quanto a gengiva ao redor dos dentes!

O que causa a mucosite?

A presen√ßa de um biofilme de bact√©rias que coloniza a jun√ß√£o entre o implante¬† e a gengiva, capaz de provocar uma rea√ß√£o inflamat√≥ria¬† pela libera√ß√£o de subst√Ęncias que agem como irritantes. Assim, todo paciente portador de implantes precisa ter cuidados bastante meticulosos com a higiene bucal, tanto ou mais do que se tem ao redor dos dentes.

Como prevenir a mucosite?

A melhor forma de preven√ß√£o √© manter uma rigorosa remo√ß√£o di√°ria do biofilme, que envolve o uso de pasta de dente, escova, fio dental ou escova para limpeza entre os dentes. Caso tenha d√ļvidas sobre a melhor forma para limpar a regi√£o ao redor dos implantes, pe√ßa informa√ß√Ķes ao seu dentista. Vale lembrar que os implantes necessitam de cuidados semelhantes aos dentes.

Como tratar a mucosite?

O tratamento envolve a remoção profissional do biofilme bacteriano da superfície do implante próxima a margem gengival. Como os implantes também acumulam tártaro, é preciso ter cuidados higiênicos. Uma vez que o implante fique livre de biofilme, a manutenção desse padrão de limpeza por um período de 10 a 20 dias vai permitir que a mucosa cicatrize. A remoção diária do biofilme, muitas vezes, pode ser auxiliada pelo uso de medicamentos na forma de bochechos que complementam a escovação. A cicatrização é observada quando não houver mais sangramento da mucosa durante a escovação ou quando a avaliação profissional dessa região indicar a cura.

Conclus√£o

Manter a sa√ļde da boca √© primordial, inclusive para manter a sa√ļde em outras partes do organismo. Isso deve ser feito com h√°bitos saud√°veis, n√£o fumando, com exerc√≠cios f√≠sicos, visitas ao m√©dico regulares e, no plano odontol√≥gico, principalmente com um bom controle da placa (biofilme), que inclui o uso da escova, do dentifr√≠cio, do fio dental ou da escova interdental e, complementarmente, do uso de bochechos com solu√ß√Ķes anti-s√©pticas. A conjun√ß√£o de todas essas pr√°ticas aliadas a visitas regulares ao dentista permitem sa√ļde bucal, h√°lito agrad√°vel e qualidade de vida.

Fonte: UFRGS

O que é periodontite?

√Č uma doen√ßa da gengiva que envolve perda das estruturas que suportam os dentes, especialmente o osso. N√£o apresenta dor ou caracter√≠sticas que chamem aten√ß√£o. Somente nos est√°gios mais avan√ßados, pode-se observar mobilidade dent√°ria e, em algumas situa√ß√Ķes, recess√£o gengival. Assim, parece que¬†os dentes est√£o ficando maiores. Muitas vezes, a gengiva tem um aspecto saud√°vel, sem estar inchada ou avermelhada. Importante: se a sua gengiva apresenta sangramento ou sangrou em algum momento, √© interessante uma avalia√ß√£o minuciosa para determinar se existe alguma perda de suporte √≥sseo. Consulte um dentista.

O que causa a periodontite?

A periodontite é causada pelo biofilme bacteriano Рou placa bacteriana Рlocalizado abaixo da margem gengival, subgengivalmente. O biofilme que alcança a área subgengival  não pode ser removido com os métodos caseiros de controle do biofilme. Assim, a periodontite também relaciona-se com os hábitos de higiene bucal. Contudo, hoje em dia, sabe-se que outros fatores, especialmente o fumo e a diabetes agravam a periodontite.

Como prevenir a periodontite?

A melhor forma de prevenir a periodontite √© manter um alto padr√£o di√°rio de remo√ß√£o do biofilme bacteriano ou placa dental. Todo o biofilme que n√£o for removido com a limpeza di√°ria (e fique na superf√≠cie do dente) pode migrar para baixo da gengiva. Quando isso acontece, a periodontite pode se estabelecer iniciando a perda √≥ssea. Lembre-se tamb√©m que manter h√°bitos de vida saud√°vel, fazer check-ups m√©dicos regulares e n√£o fumar auxiliam na manuten√ß√£o da sa√ļde da boca.

Como tratar a periodontite?

O tratamento é feito com raspagem e alisamento da raiz com o objetivo de remover o biofilme bacteriano que está nessa superfície. Assim que a superfície estiver livre de bactérias, a gengiva voltará a se aderir à raiz, parando o processo de perda óssea. O suporte do dente que foi perdido não se recupera, mas o objetivo do tratamento é evitar perda óssea adicional, o que pode acarretar a queda do dente. Antigamente, achava-se que para tratar uma periodontite era obrigatório fazer uma cirurgia. Hoje, sabe-se que as cirurgias são necessárias somente em alguns casos. O mais importante é manter o padrão de higiene bucal diariamente.

Conclus√£o

Manter a sa√ļde da boca √© primordial, inclusive para manter a sa√ļde em outras partes do organismo. Isso deve ser feito com h√°bitos saud√°veis, n√£o fumando, com exerc√≠cios f√≠sicos, visitas ao m√©dico regulares e, no plano odontol√≥gico, principalmente com um bom controle da placa (biofilme), que inclui o uso da escova, do dentifr√≠cio, do fio dental ou da escova interdental e, complementarmente, do uso de bochechos com solu√ß√Ķes anti-s√©pticas. A conjun√ß√£o de todas essas pr√°ticas aliadas a visitas regulares ao dentista permitem sa√ļde bucal, h√°lito agrad√°vel e qualidade de vida.

Fonte: UFRGS

O que é gengivite?

Gengivite é uma inflamação da gengiva que se caracteriza por sangramento gengival que pode ser observado durante a escovação, quando passamos fio dental ou palito. A gengiva também pode ficar com inchaço ou descolada do dente. A cor pode modificar de rosa para um tom mais avermelhado. Não apresenta dor. Muitas vezes o mau hálito ou gosto ruim na boca podem ser observados. Não se esqueça: gengiva saudável não sangra!!!

O que causa a gengivite?

A gengivite √© provocada pela presen√ßa de um biofilme de bact√©rias que coloniza a jun√ß√£o entre o dente e gengiva acima da margem¬† ou supragengival. Esse biofilme tradicionalmente √© chamado de placa bacteriana. O biofilme bacteriano √© uma pel√≠cula, branco-amarelada e pegajosa que se forma independente da alimenta√ß√£o.¬† A partir de dentes limpos em poucas horas j√° existe uma coloniza√ß√£o de bact√©rias e em 24 horas h√° uma quantidade de biofilme capaz de provocar uma rea√ß√£o inflamat√≥ria pela libera√ß√£o de subst√Ęncias que agem como irritantes para a gengiva. Portanto, n√£o esque√ßamos que a placa bacteriana n√£o est√° relacionada com a alimenta√ß√£o!!! Mesmo se n√£o comemos nada, a placa bacteriana se forma sobre os dentes.

Como prevenir gengivite?

A melhor forma de prevenir gengivite √© manter uma rigorosa remo√ß√£o di√°ria do biofilme (placa bacteriana). Essa remo√ß√£o envolve o uso de escova dental, fio dental ou escova para limpeza entre os dentes e um dentifr√≠cio com fl√ļor (pasta de dente). Caso tenha d√ļvida de qual a melhor forma para limpar os dentes procure o seu dentista. Ele √© o respons√°vel por ensinar como realizar da melhor forma a remo√ß√£o da placa. Lembre, tamb√©m: crian√ßas n√£o conseguem fazer remo√ß√£o de placa sozinhos. At√© que adquiram habilidade, os pais ou respons√°veis devem fazer a higiene bucal da crian√ßa. Isso n√£o acontece antes dos 6-8 anos de idade.

Como tratar gengivite?

O tratamento da gengivite envolve a remo√ß√£o de t√°rtaro ou c√°lculo da superf√≠cie do dente, al√©m de um polimento de forma a deixar a superf√≠cie o mais lisa poss√≠vel para facilitar a remo√ß√£o di√°ria do biofilme bacteriano. Uma vez que o dente esteja liso e livre do biofilme, a manuten√ß√£o desse padr√£o de limpeza por um per√≠odo de 10 a 20 dias vai permitir que a gengiva cicatrize. A cicatriza√ß√£o √© observada quando n√£o houver mais sangramento da margem gengival. O monitoramento da sa√ļde da gengiva pode ser feito por voc√™, observando se h√° ou n√£o sangramento.